DestaquesPolítica

Dinaldinho aguarda decisão do TJPB, fala de ‘pesadelo’ e não sabe se será candidato

“Não desejo a ninguém conviver com tragédia como a que vivemos, eu, minha esposa e amigos como Mucio Sátiro Filho, este até preso injustamente foi, pior é sem ter acesso até hoje ao direito de defesa minimo 1 ano e 7 meses”, declarou o médico Dinaldo Wanderley Filho (PSDB).

O político, que também é médico, se afastou da política depois da ação do Ministério Público estadual, agora com decisão de inocentá-lo e seus assessores.

Ele revelou ainda que não sabe se será candidato à reeleição por conta de estar afastado da vida politica e da realidade caótica na cidade de Patos depois que foi afastado das funções por acusações infundadas gerando a gravidade na sua vida e no município.

– Tudo o que vivemos é muito próximo de tragédia injusta e sem igual nos levando a ter que tomar a decisão de nos dedicarmos à medicina para sobrevivência aguardando o rito processual agora confirmando nossa inocência pelo Ministério Público em todos os casos – frisou.

SEM DIREITO DE DEFESA – Dinaldo Wanderley revelou ainda que até a presente data nunca teve acesso às acusações, sobretudo as relações, nem foi sequer chamado para se defender.

– Considero importante a atuação do Ministério Público, mas é incompreensível que durante todo processo e desde o começo nunca tivemos chance de acesso às acusações e isto afeta o amplo direito de defesa ou, no contrário, com amplo cerceamento incompreensível – afirmou.

Segundo ele, embora esteja confirmada sua inocência e, ato contínuo, gerando danos irreparáveis à sua vida, de seus familiares e amigos não pretende pedir indenizações.

Ao final, revelou que aguarda o posicionamento da Justiça, a partir do desembargador Carlos Beltrão, para avaliar e decidir seu futuro “extremamente afetado com tamanha injustiça”.

Wscom

Deixe seu comentário

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar