DestaquesPolítica

Em visita à Paraíba, Bolsonaro volta a citar facada e evita falar de candidatos do Estado

Em discurso no município de Coremas, no Sertão da Paraíba, o presidente Jair Bolsonaro voltou a citar a facada que recebeu durante a campanha presidencial de 2018. Ele agradeceu aos paraibanos que rezaram pela sua saúde.

“Agradeço às orações de quem pediu pela minha vida. Momento difícil, mas tudo se supera”, declarou.

O presidente evitou citar nomes de políticos do Estado que estão se candidatando nas eleições deste ano para não ‘incorrer em deslize’.

“Não posso citar os nomes das pessoas que me ajudaram desde lá de trás porque muitos são candidatos e não posso incorrer em deslize de ferir a legislação eleitoral”, contiuou.

Mesmo assim, ele agradeceu aos parlamentares presentes e pregou união com o Congresso Nacional: “O senador José Maranhão, velho amigo meu, o senador Efraim e o seu filho Efraim filho e também Hugo Motta. Estamos juntos com o parlamento para mudar o destino do Brasil”.

“Taxar o sol”

Bolsonaro cravou que, até o fim do seu mandato, o Governo Federal não irá cobrar impostos na geração de energia solar no país.

“O pessoal queria taxar o sol, e sabemos que as agências são independentes, e tem um valor maior para o Brasil. Essa proposta até 2022 que vamos estar no governo, não entrará em prática, não haverá taxação do sol”, revelou.

Wscom

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar